domingo, 27 de setembro de 2009

Saúde das unhas





A unha é um anexo da pele, é formada por queratina e tem função de proteger a ponta dos dedos e auxiliar no manuseio de objetos. Atualmente, as unhas passaram a ter, principalmente, função cosmética e decorativa. Na era das unhas bem feitas e decoradas, diversos são os produtos que são lançados no mercado para satisfazer a vaidade feminina.
As unhas, além de ser utilizada para fins estéticos também podem refletir a saúde do indivíduo e hábitos pessoais (ex: ansiedade).

As unhas apontam doenças:
Na medicina a unha alterada ajuda a diagnosticar algumas doenças internas (doenças cardíacas, renais, pulmonares), doenças cutâneas (psoríase, por exemplo) e deficiências de nutrientes (avitaminoses, deficiência de ferro). Conforme o tipo de alteração ungueal, suspeitam-se de determinados diagnósticos.

Doenças das unhas:
A micose da unha (onicomicose) é uma queixa freqüente no consultório dermatológico. O tratamento, dependendo da extensão das lesões, deve ser realizado com antifúngicos em forma de esmalte ou comprimidos via oral. O tratamento é realizado, geralmente, por um longo período, já que o crescimento das unhas é lento. As medicações podem causar efeitos colaterais, portanto devem ser prescritas apenas pelo médico. Deve-se ter cuidado, pois embora freqüente, nem todas as alterações ungueais são causadas por fungos.
Traumas repetidos dos dedos em esportistas ou em quem utiliza calçados apertados também podem causar o descolamento da lâmina ungueal e o aparecimento de hematomas. A unha encravada também aparece nos casos de trauma e, dependendo da gravidade, é tratada com antibióticos ou extração do canto da unha.
A inflamação da cutícula (paroníquia) é uma afecção comum, observada com mais freqüência em pessoas que mantém as mãos úmidas e lavam de forma repetitiva.
Alguns tipos de tumores também podem aparecer nas unhas merecendo tratamento cirúrgico.

No Salão de beleza:
Instrumentos de manicure devem ser devidamente esterelizados, e se possível utilizar seu próprio material (alicate, lixa e afastadores de cutícula). Lembrar que além de micoses esses objetos podem transmitir doenças mais graves como a hepatite.
Para quem não vive sem esmalte, cuidar com a dermatite de contato (alergia) ao esmalte que é muito freqüente nas mulheres, nestes casos uma alternativa são os esmaltes hipoalergênicos.
Quem não é alérgico e tem unhas fracas pode utilizar as bases fortificantes com formol e vitaminas. Essas, se utilizadas em excesso, podem ressecar as unhas, que também merecem hidratação.

Cuidados:
-Mantenha sempre as unhas secas e limpas.
-Não roer as unhas, este hábito favorece infecções.
-Cuidar com objetos de manicure não esterelizados.
-Evite mexer na unha encravada já infectada.
-Evite andar descalço em ambientes úmidos,
- Alguns suplementos com queratina e vitaminas podem melhorar o crescimento e fortalecer as unhas, mas devem ser receitados pelo médico, evite auto-medicação.
-Diante de qualquer alteração da coloração, da textura e da conformação da unha procurar um dermatologista, pois isso pode ser um sinal de que algo não está bem.

Capriche nos cuidados, assim você terá unhas saudáveis e poderá exibir suas unhas à vontade: com o esmalte da moda, decorá-las ou mesmo exibir uma unha bonita e natural.

Tratamento de olheiras


As olheiras são consideradas um grande problema para muitas mulheres e embora existam corretivos e maquiagem para amenizá-las, elas continuam sendo um grande transtorno na vida de algumas pacientes.
A olheira é causada por deposição de pigmentos (hemosiderina, pelo extravasamento de sangue na região infra-palpebral) e pelo efeito sombra e profundidade da pálpebra.
A genética tem um papel importante na formação das olheiras, bem como fatores ambientais: noites mal dormidas e período menstrual.
Ao contrário do que muitos acreditam, existem tratamentos eficazes para amenizar o problema:
-Luz intensa pulsada: Feixes de luz que são atraídos pelo pigmento escuro das olheiras e em algumas sessões são capazes de clareá-las.
-Carboxiterapia: a injeção de gás carbônico aumenta a oxigenação no tecido e promove o clareamento, além disso, como ocorre um descolamento da pele no local, promovendo um estímulo na formação de colágeno e melhorando a flacidez palpebral.
-Cremes: Podem ser usados isolados ou, para um melhor resultado, o tratamento tópico deve ser associado aos tratamentos citados anteriormente. Produtos com vitamina k1, ácido kójico, ácido fítico e anti-oxidantes (vitamina C e café verde) podem ser utilizados.
Agora que você já conhece as formas de tratamento poderá substituir aquele ar de cansaço por uma pele mais clara e viçosa, sem olheiras.

Dúvidas sobre dermatologia e cuidados com a pele...

Loading...