domingo, 19 de julho de 2009

Presente e futuro: terapia celular e células-tronco


Não poderia deixar de comentar com vocês sobre o evento que participei em São Paulo. O I Congresso de terapia celular e células-tronco, realizado pela Sociedade Brasileira de Dermatologia. Foi maravilhoso e contou com dermatologistas e pesquisadores de todo o país.


O que é terapia celular?

O princípio da terapia celular é simples: restaurar a função de um órgão ou tecido, transplantando novas células para substituir as células perdidas pela doença, ou substituir células que não funcionam adequadamente.O que são células-tronco?São células indiferenciadas (embrionárias), que injetadas na circulação ou no local da lesão, elas podem se diferenciar em células especializadas daquele tecido ou órgão, substituindo as células defeituosas.


O que podemos esperar do uso de células-tronco e terapia celular na dermatologia?

Além das novidades para tratamentos de algumas doenças dermatológicas com células-tronco (Epidermólise bolhosa, xeroderma pigmentoso e úlceras crônicas), o tratamento para rejuvenescimento também está se modernizando.Além dos preenchedores cutâneos já existentes (ácido hialurônico, hidroxiapatita e metacrilato), podemos a partir de uma amostra da pele retirada do paciente, cultivar os fibroblastos do próprio paciente e utilizá-lo para correção de rugas, melhora da textura da pele e conseqüente efeito rejuvenescedor, sem o risco de reações alérgicas ou rejeição do produto.


Quais são as outras doenças que podem se beneficiar dessas terapias?

Pesquisas com células-tronco para cura de distrofias musculares, degenerações ósseas, doença de Parkinson e da angina refratária (dor no peito sem melhora com a terapia convencional) também já estão sendo realizadas e com efeitos promissores.Fiquei encantada em saber que temos no Brasil laboratórios e serviços que estão muito avançados no que diz respeito a estas terapias e gostaria de dividir com vocês algo que parecia longe do nosso alcance, mais que hoje já é realidade.

Creme com café?


Após a vitamina C e o chá verde o antioxidante do momento é o café verde. O óleo do café verde virou matéria prima de cosméticos que combatem o envelhecimento. Cremes faciais noturnos e diurnos (com filtro solar na fórmula), loções de limpeza da pele e cremes para contorno dos olhos são alguns dos produtos disponíveis.

Apesar do Brasil ser um grande produtor de café, o produto só chegou no mercado brasileiro há 2 anos e já traz resultados animadores.

Em um estudo realizado na Virgínia (EUA), mulheres que utilizaram o produto apresentaram redução de 24% das marcas de expressão e diminuiram cerca de 15% as manchas da pele. Isso se deve, principalmente, pela presença de polifenóis neste produto: o ácido clorogênico e o ácido ferrúlico. Estes combatem os radicais livres que são responsáveis pelo envelhecimento cutâneo.Além de manchas e rugas estes cremes hidratam a pele, preservando a função de barreira; possuem efeito antiflamatório e, portanto, reduzem o eritema (aspecto avermelhado) do rosto.

Segundo estudos recentes, as propriedades antioxidantes do café são maiores que a do chá verde (maior quantidade de polifenóis) e quatro vezes mais potentes que a vitamina C.

Além das propriedades rejuvenescedoras, a vantagem do produto é que ele pode ser utilizado em qualquer idade (pacientes jovens e idosos), pois além de ajudar na pele envelhecida o café confere um papel de proteção contra os efeitos radiação ultra-violeta, tendo portanto, ação preventiva.Uma observação importante é que o cafézinho (líquido), como é feito a partir do grão torrado, perde grande parte dos antioxidantes, logo, não adianta substituir o creme pelo saboroso café.

Dúvidas sobre dermatologia e cuidados com a pele...

Loading...